BLOG

Patrícia Gonçalves*

 

O que faz algumas pessoas serem bem-sucedidas na vida e outras ficarem estagnadas? O que leva algumas pessoas a alcançarem o sucesso profissional e outras a se manterem num mesmo estágio em sua carreira? O que paralisa algumas pessoas e o que é capaz de motivá-las, levando-as mais além, a conquistarem novos horizontes, um melhor desempenhor? Quais talentos, valores e crenças definem as pessoas? Como as pessoas se veem diante da vida – vítimas ou autoras da sua própria história?

Cada um poderá responder a essas perguntas conforme sua perspectiva cotidiana, suas experiências, o ambiente em que está envolvido e conforme os valores que recebeu desde criança.

Os seres humanos são incríveis, pois são únicos. Até hoje a ciência não conseguiu fazer alguém exatamente igual ao outro, com os mesmos genes, corpo, alma, espírito. Mesmo com as várias tentativas de cloná-los, aos poucos aparecem os defeitos, as células se envelhecem mais rápido do que o original, entre outros problemas que podem aparecer. Você já parou para pensar que VOCÊ É ÚNICO e que não existe outra pessoa igual a você?

Mas o que torna uma pessoa diferente da outra muitas vezes está relacionado à sua postura. O que faz uma pessoa mudar o “rumo” da sua vida ou continuar na “mesmice” é a sua postura diante do que lhe é posto e as atitudes tomadas para encarar essas situações. Esses são fatores determinantes do sucesso ou do fracasso e o que fará qualquer pessoa alcançar um dos dois é o quão importante são os seus sonhos, objetivos, seu propósito de vida.

Segundo Roberto Shinyashiki, referência em temas como carreira, felicidade e sucesso, “a grande verdade é que você é a pessoa que escolhe ser. Todos os dias você decide se continua do jeito que é ou muda. A grande glória do ser humano é poder participar de sua autocriação.”

Conhecer a si próprio faz parte do entendimento dos seus comportamentos. Saber onde está (seu estado atual) e aonde quer chegar com sua postura (estado desejado – futuro) pode levá-la mais rápido ao objetivo pretendido.
Ser proativo é ter senso de prontidão e urgência, é arriscar-se a estar à frente de qualquer problema vivenciado ou que poderá acontecer se nada de positivo for feito. Ao contrário disso, pessoas que não têm esse comportamento exibem os padrões opostos: não conseguem identificar ou aproveitar as oportunidades de mudar as coisas em qualquer área de sua vida.

As principais características de uma pessoa proativa

Busca constante por oportunidades de mudança; execução de ideias; enfrentamento de obstáculos; sabe se opor sem criar confrontos e conflitos; tem flexibilidade a ponto de saber lidar com qualquer mudança; tem iniciativa, atitude, auto-liderança e perseverança; tem agilidade, coletividade e capacidade de gerar valor agregado ao produto; é capaz de compatibilizar inteligência, experiência e expertise, transformadas em valores éticos; tem visão global mesmo que ele não trabalhe fora do país; É empreendedor e tem facilidade de inovar, além de outras características marcantes que o tornam um profissional de alta performance.

Como as empresas têm enxergado a postura de seus colaboradores?

Um dos grandes desafios dos recrutadores durante a seleção de um candidato é, em poucas horas, conhecê-lo tão bem a ponto de saber se o seu comportamento pessoal está alinhado às suas características profissionais. Afinal de contas, currículo e boa aparência nem sempre são suficientes para dimensionar se o candidato tem perfil proativo. Atualmente admite-se por competência e demite-se por comportamento e, para evitar que isso aconteça, é imprescindível que, além de testes de personalidade, existam testes de comportamentos práticos, em equipe ou que induza a liderança.

Segundo Meiry Kamia, “o comportamento proativo é definido como sendo um conjunto de comportamentos extrapapel em que o trabalhador busca espontaneamente por mudanças no seu ambiente de trabalho, solucionando e antecipando-se aos problemas, visando a metas de longo prazo que beneficiam a organização”. Para isso, é imprescindível que as empresas deixem claro para qual caminho ela está indo, quais são seus objetivos e invista nesse tipo de colaborador para evitar perdê-lo.

A proatividade dos profissionais pode mudar o comportamento da empresa

As pessoas que possuem comportamento proativo tendem a empenhar mudanças nos ambientes em que atuam e, com isso, as empresas para as quais trabalham muitas vezes também adotam posturas proativas diante do mercado. Por exemplo: as empresas Toro, Exmark Manufatura e Dixon Industries Inc., coletivamente, lembraram 62.000 defeituosos comerciais cortadores de grama. Essas empresas trabalharam diretamente com os seus revendedores, distribuidores e clientes durante a campanha de recall para corrigir ou substituir as unidades afetadas que já estavam sob poder dos consumidores.

A Nike é outro exemplo de empresa que teve uma postura proativa, respondendo a críticas sobre as condições de trabalho na cadeia de suprimentos da empresa. Kingfisher, empresa varejista em construção e reforma de casas, que detém a cadeia britânica B&Q (Block & Quayle), implementou com sucesso uma postura proativa na redução de resíduos, produtos químicos e questões ambientais.

Exemplos de pessoas como Bill Gates e Steve Jobs que revolucionaram o mundo com a tecnologia acessível e até mesmo os grandes revolucionários da humanidade como Jesus Cristo, Dalai Lama, Madre Teresa de Calcutá e Nelson Mandela - conhecidos como líderes exemplares - tinham em si o desejo de transformar, mudar, inovar e revolucionar através da sua postura, daquilo que tinham em mãos e daquilo que sabiam fazer. Usaram essas habilidades, consideradas de alta performance e se tornaram referências e destaques históricos.

A pessoa com atitudes positivas (comportamento proativo) na vida pessoal dificilmente será acomodada na vida profissional. O seu eu verdadeiro é maior e isso facilitará todas as áreas em sua vida. Ser proativo é uma escolha e está relacionado ao querer e ao agir, saindo do discurso e indo para a prática. É a capacidade de dirigir a sua própria vida e ter consciência de que ser competente e feliz são questões de sua responsabilidade.

 

*Patrícia Gonçalves é empreendedora, graduada em Gestão Hoteleira e Turismo pelo CEFET-GO, Coach Pessoal, Profissional e Líder Coach certificada pela Sociedade Brasileira de Coaching, com titulação internacional pelo Behavioral Coaching Institute, consultora em Gestão do Conhecimento e Educação Corporativa, colunista do Portal Educação, Blog da Qualidade e Revista HDI Support World